Make your own free website on Tripod.com
 
INICIAL
HISTORIA
AV PAULISTA
BAIRROS
FESTAS
INSTITUIÇÕES
TIÃO ROCHA
COMIDA
MOR-BUT
ZONA NORTE
CENTRO
ZONA SUL
ZONA LESTE
INTEGRANTES

Bairros típicos de São Paulo

Através dos séculos, a cidade de São Paulo foi colonizada por diferentes grupos de imigrantes. Cada um desses grupos se concentrou em bairros distintos, antes separados, que com o crescimento da cidade tornaram-se próximos. Os mais conhecidos são o Bixiga (hoje chamado Bela Vista) e a Liberdade, que começaram a ser povoados no início do século XIX. Mais recente, o Bom Retiro, bairro que concentra imigrantes coreanos e judeus, transformou-se em uma região conhecida pelas lojas de roupas a preços atrativos.

 

Brás, Bixiga e Barra Funda

Estes três bairros, de povoação bastante parecidas, surgiram a partir da imigração de italianos, que vieram para trabalhar na lavoura. Com o tempo, os imigrantes começaram a se mudar para a cidade, fazendo surgir esses bairros. É no Bixiga (hoje conhecido como Bela Vista), onde acontece a mais tradicional celebração do aniversário de São Paulo. Em 25 de janeiro, os "bixiguenses" preparam o Bolo de São Paulo, um pão-de-ló de mais de 400 metros, que é apreciado pelas mais de 5 mil pessoas que comparecem à festa todos os anos. Também é do Bixiga a mais conhecida das festas paulistanas, a dedicada a Nossa Senhora Achiropita, que acontece em agosto. O Museu do Bixiga, um delicioso apanhado de momentos da colônia italiana no Brasil, conta a história do bairro e de sua população. A nova Bela Vista é hoje também conhecida como o distrito dos teatros. Um sem-número de teatros se espalham pelos quarteirões da Avenida Brigadeiro Luis Antônio e pelas rias próximas, com espetáculos de qualidade. Na saída, aproveite para apreciar a saborosa comida italiana de uma das centenas de cantinas do bairro. Com direito a música ao vivo e atendimento com sotaque.

 

Liberdade

São Paulo que se concentra a maior colônia japonesa fora do Japão. E grande parte desses imigrantes adotou como casa o bairro da Liberdade, conhecido pela inusitada decoração encontrada nas principais ruas do bairro. Hoje, no bairro vivem também comunidades de coreanos e chineses. Da arquitetura das casas aos jornais impressos em línguas orientais, a Liberdade mantém acesa a tradição.

Na Praça da Liberdade, porta de entrada do bairro, comida e artesanato típicos podem ser aprecidos aos domingos, quando acontece a feira do bairro. A maior parte dos restaurantes típicos se concentra na Rua Tomás Antônio Gonzaga, enquanto nas ruas Galvão Bueno, Conselheiro Furtado e Rua da Glória são encontrados produtos de todos os tipos, de cosméticos a eletrônicos. O Museu da Imigração Japonesa documenta e celebra os 70 anos da imigração japonesa no Brasil. E completando a sensação de estar do outro lado do mundo, um templo budista de impressionante arquitetura é aberto ao público, na Rua São Joaquim.

 

Luz

O bairro da Luz, ainda que de povoamento mais antigo, também tem suas características singulares. A região foi durante muito tempo um local de passagem, fazendo com que pelo bairro estejam as duas primeiras e mais belas estações de trem da cidade. A Estação Júlio Prestes hoje funciona como sala de espetáculos e é sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. A Estação da Luz, de arquitetura ainda mais impressionante, continua servindo como estação de trens regionais. Ela foi construída nos moldes das estaçõs britânicas, com material trazido da Europa. Também no bairro fica o Parque da Luz, o primeiro da cidade, a Pinacoteca e o Mercado Municipal.